Vamos falar sobre “Você é o que pensa”

Vamos falar sobre “Surpreenda! Faça além do esperado”
Fevereiro 17, 2017
Vamos falar sobre “João Dória”
Março 2, 2017
Show all

Vamos falar sobre “Você é o que pensa”

 

Sem dúvida somos resultado daquilo que pensamos (você é o que pensa), logo esse pensamento se torna uma prática e isso a consequências que podem ser boas ou ruins e tratar disso pode ser a diferença entre sucesso e fracasso.

 

Nossos pensamentos são baseados em nossas convicções e elas precisas ser revistas, pois elas tornam os pensamentos frequentes, aqueles que não nos fazem bem mas insistimos em mantê-los vivos em nossa mente.

 

O proverbio 23:7 diz exatamente isso, “Assim com pensa em seu coração, assim ele é”. Não tem como mudar uma prática se ela não for mudada pela parte de dentro, é preciso mudar as convicções.

 

Você já parou para observar como os dilemas da nossa vida, bem como os acertos costumam se repetir quase da mesma forma? Quando você está exercendo uma atividade ou participando de um projeto e logo parece que o final vai ser conhecido, quando pensamos assim nossas ações começam a ser semelhantes a experiências anteriores e o resultado poderá ser parecido.

 

Participo de algumas reuniões com frequência, há algum tempo eu comecei a evita-las por achar que eram improdutivas, sempre partiam para o mesmo caminho e no final tinha a sensação de que não foi nada definido e saímos pior dela do que chegamos.

 

Sempre tributamos os méritos do fracasso para os outros, é mais fácil colocar a responsabilidade das coisas que não deram certo para outras pessoas que participam do projeto, eliminando assim a nossa parcela de culpa ou minimizando nossa parte.

 

Mas essas reuniões depois de um tempo passaram a ser mais produtivas, e com as mesmas pessoas e sobre temas já de conhecimento da equipe e a melhora foi atribuída a uma mudança de convicção, a convicção de que todas as reuniões seriam iguais, percebi que quando mudei essa convicção passei a ser mais produtivo e a absorver mais daquele momento que todos dedicavam a uma causa.

 

E com fazemos isso? Bem quando eu recebia o recado de que haveria uma nova reunião não via aquilo como um fardo, mas como uma oportunidade de realizar pequenas melhorias, quando estava no local da reunião não me fixava em pontos negativos que sempre ocorrem, mas em oportunidades de melhora, e acredite se você entrar em uma reunião com essa convicção você vai se impressionar com a quantidade de aprendizado que se é possível absorver nesses ambientes.

 

Pequenas mudanças são possíveis a todos, e portanto devemos fazê-las.

 

Não vou ler esse texto porque sempre fala a mesma coisa;

Não vou na igreja porque já sei o que será dito ou não concordo;

Meu chefe é um chato;

Minha esposa é uma reclamona;

Meu filho não tem jeito;

Todo líder que alcança o poder se corrompe;

Não consigo aprender outra língua;

Sou péssimo em matemática;

Não sou capaz de aprender um instrumento;

Tenho medo de falar em público;

Pessoas são em sua essência maldosas;

Ele não merece meu perdão;

Meu cabelo é revoltado;

Não gosto de ouvir tal pessoa falar;

Não suporto o curso que optei fazer;

Sou um péssimo vendedor;

Esse ensaio tá chato;

Etc., Etc., Etc.,

 

São muitas as convicções que tornam nossas ações limitadas, toda vez que nos deparamos com esses comportamentos estamos construindo uma barreira que limita a capacidade de transpô-las.

Cada sentimento desse desencadeia uma série de ações como as palavras que você vai dizer, a forma de você agir fisicamente, os pensamentos que são gerados e logo isso se torna um sentimento, a forma que você se posicionará diante dessas situações.

Aprender a olhar isso por um outro lado te ajudará a mudar todo esse comportamento, mude sempre com pequenas ações e a longo prazo você ficará surpreso pelo resultado que você obterá.

 

Espero ter colaborado,

 

Mailson Brandão

 

 

Tenho uma plataforma de ensino grátis: www.negocioavancado.com.br clique e conheça.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *